LCI: entenda como funciona e quais são as vantagens de investir

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Cada vez mais procuradas por investidores em busca de aplicações seguras e com boa rentabilidade, as LCI (Letras de Crédito Imobiliário) são títulos de renda fixa criados com o objetivo de, junto com a caderneta de poupança, fomentar a expansão do mercado imobiliário no país.

Sua dinâmica é bem simples: o investidor empresta dinheiro aos bancos ao comprar o título de crédito. O valor que fica à disposição dos bancos é emprestado a terceiros para utilização no mercado imobiliário. O lucro dos bancos vem dos juros cobrados nestas operações.

Mas a LCI não é interessante apenas para as instituições financeiras. Existem boas vantagens para as pessoas que optam por este tipo de investimento. Conheça algumas características da LCI:

Isenção de Imposto de Renda

Até por ser uma modalidade voltada para o setor imobiliário, a LCI conta com um importante benefício fiscal. A isenção de Imposto de Renda é um incentivo do Governo para que, com as aplicações no LCI, o mercado de imóveis se mantenha aquecido.

É interessante lembrar que, em outros tipos de investimento de renda fixa, a incidência do Imposto de Renda varia conforme o tempo da aplicação: as alíquotas são de 22,5% para as aplicações de período igual ou menor que 180 dias e são reduzidas gradativamente, caindo para 15% nos casos em que o período supera os 720 dias.

Rentabilidade da LCI

Os rendimentos da LCI são atrelados aos índices do CDI, geralmente girando em torno de 80% a 95%. Com estes percentuais, é possível obter uma boa rentabilidade. Aliás, se levarmos em conta que outros investimentos, com índices ligeiramente mais altos, sofrem com a incidência do Imposto de Renda, a LCI se torna ainda mais atraente.

Uma vez que está sujeita à variação do CDI (que por sua vez é influenciado pela Taxa SELIC), a LCI pode ser classificada como um título pós-fixado. Por isso, a aplicação é ainda mais recomendada nos períodos em que há elevação na taxa de juros.

Risco

Por ser um título de renda fixa, a LCI é considerada uma aplicação de baixo risco. A rigor, o investidor só seria prejudicado se a instituição financeira emissora do título viesse à falência. Ainda assim, seria possível contar com o amparo do FGC (Fundo Garantidor de Crédito), até o limite de 250 mil reais por CPF.

Outras características

  • Investimento mínimo: embora seja possível encontrar opções de LCI com aplicação mínima de 5 mil reais, são mais comuns os valores mais altos, a partir da casa dos 30 mil reais.
  • Liquidez: A LCI tem um período de carência, que geralmente é de 90 dias. O mais recomendado é seguir os prazos definidos no ato do investimento (entre 6 meses a 2 anos, conforme a instituição financeira).

Cuidados

Antes de investir em LCI, é preciso avaliar as condições financeiras, garantindo que os prazos sejam respeitados. Se possível, é importante manter uma reserva financeira de emergência, para que não seja necessário efetuar resgates fora do tempo.

Vale a pena também procurar uma instituição financeira mais sólida, reduzindo ainda mais o risco de perder o valor investido.

E você, considera a LCI uma boa opção de investimento? Compartilhe sua opinião comentando nosso post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *