Afinal, por que não é possível comprar um apartamento sem entrada?

Tempo de leitura: 3 minutos

O plano de adquirir o primeiro imóvel está se tornando cada vez mais próximo da realidade de milhares de brasileiros nos últimos anos graças às facilidades que as instituições financeiras têm proporcionado em suas alternativas de financiamentos imobiliários.

Contudo, muitas famílias acreditam que é possível comprar apartamento sem entrada e acabam se deparando com um grande obstáculo em seu caminho em direção a esse sonho tão almejado.

Portanto, neste conteúdo, mostraremos por que não é possível adquirir um imóvel financiando 100% de seu preço, o que faz com que o valor de entrada seja necessário e como proceder diante desse fato. Acompanhe a leitura para conferir!

Por que não é possível comprar apartamento sem entrada?

Antes de mais nada, é preciso entender que no mercado atual não há uma alternativa de linha de crédito que contemple 100% o financiamento de um imóvel. O que queremos dizer é que não é possível comprar apartamento sem entrada, já que o percentual máximo de financiamento de imóveis é de 90%. Isso significa que você terá que dar uma entrada de pelo menos 10% do valor total da propriedade.

Contudo, isso não é motivo para abandonar as esperanças de seu plano de adquirir seu primeiro apartamento, já que há uma possibilidade: fazer um financiamento imobiliário para custear 90% do valor do apartamento e usar seu FGTS como entrada.

Como funciona um financiamento imobiliário?

financiamento imobiliário é a alternativa de concessão de crédito mais popular no país para a aquisição de uma moradia. Todos os anos, milhões de brasileiros recorrem ao mercado para captar os recursos necessários para tornar esse sonho possível — estamos nos referindo à entrada.

De forma, simplificada, essa modalidade de crédito é uma espécie de empréstimo, o qual uma instituição financeira — que pode ser tanto a construtora responsável pelo empreendimento quanto um banco — concede ao comprador o capital necessário para comprar o imóvel.

Para que o consumidor tenha direito a esse crédito, a instituição financeira exige diversas condições, entre elas:

  • a restituição do valor acrescido de juros — amortizados conforme as prestações do financiamento são pagas;
  • um valor de entrada de 10% do preço do imóvel — que pode ser o FGTS, caso o comprador não disponha de recursos próprios.

O que dizem as novas regras sobre o uso de FGTS como entrada em financiamentos imobiliários?

Em primeiro lugar, é importante considerar que existem algumas linhas de crédito para aquisição de imóveis e condições em que o FGTS não pode ser utilizado como entrada, como na compra de terrenos, imóveis comerciais ou imóveis para dependentes e familiares, por exemplo.

Em geral, o FGTS é liberado para linhas de crédito destinada à compra de casas ou apartamentos residenciais. Sendo assim, antes de começar a se planejar, analise se suas necessidades são atendidas por essa alternativa. Dito isso, confira como ficaram as condições para usar o fundo de garantia para comprar um imóvel com a implementação das novas regras:

  • é preciso ter no mínimo três anos de trabalho sob regime do FGTS;
  • não ter posse de outro imóvel em seu nome;
  • não ter nenhum financiamento ativo Sistema Financeiro de Habitação (SFH);
  • o FGTS só é liberado em financiamentos de imóveis de até R$ 950 mil nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal. Para os demais estados do país, o valor máximo é de R$ 800 mil.

Antes de concluirmos, é importante destacar que, a partir de janeiro de 2019, os valores serão ampliados para R$ 1,5 milhão em todo o Brasil e as novas regras entrarão em vigor.

Como você pôde conferir, comprar apartamento sem entrada está fora de cogitação. No entanto, é possível utilizar o valor acumulado de seu FGTS como entrada e fazer um financiamento de até 90% do imóvel.

Você ainda tem alguma dúvida sobre como usar o FGTS para dar entrada em um financiamento imobiliário? Quer descobrir como a gente pode auxiliar nesse processo? Então entre em contato para saber mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *